• Armazém na Estrada

Serei a sereia...

por Ana Paula Del Padre


Em sonho, a maresia me chamou Sussurrando salgado em meu ouvido Quando dei por mim, estava lá Pés na areia, à beira-mar Perguntaram por você Eu disse: "Está bem aqui, você não vê?" As pessoas não enxergam direito Não perceberam que meu suor Era composto de células suas E meus fluidos, impregnados de você Mas isso ninguém vê Seguimos nós, enlaçados Caminhando juntos pela orla Éramos, naquela hora Muito mais que dois Éramos todos os grãos de areia Conchas, pedras, gotículas de oceano E tudo mais Por onde passamos Deixando nossos rastros De repente, não quis mais andar na areia Quis virar sereia Cantar para você Te seduzir pra dentro do mar Não há mais perfeito lugar Para sereias praticarem A arte de amar Ouça meu som e vem Mar adentro Vamos fazer tsunamis E você será Meu epicentro


Ana Paula Del Padre

Copywriter, escritora e poeta

Perfil Instagram: @palavrasquebrotam/

Bacharel em Administração de Empresas e Comércio Exterior

Participou de 11 antologias

0 visualização0 comentário