• Armazém na Estrada

Ode ao poeta Thiago de Mello!

um poema por Valter Moraes


Fonte: amazoniareal.com.br

Partistes como poeta nos versos brancos da poesia, nos poemas alados do amanhecer, no aquiescer do recitar de cada estrofe dos sonetos ecoantes nos encontros do rio mar, beijando-se na natureza poética reviradas nas espumas das águas evocando o Recitar .


Partistes nos cantos dos pássaros levando em suas asas suas poesias declamadas nas alturas do universo, junto às estrelas, próximo da lua navegando no mar, onde possamos escutar os seus segredos, suas dores, em cada linha do universo das suas Poesias.


Sereis sempre os pássaros alegres das manhãs onde brilha o sol emergente no infinito da vida, nos sorrisos derramados nos corpos tristes. Em cada letra, em cada palavra, em cada frase, ressoam os versos impregnados das esperanças Humanas.


Os dias cinzentos deixarão de existir na sua voz em uníssono, com seus versos rebeldes contra os tiranos atrozes, tornar-se-ão brilhantes como os raios do sol e nascerá todos os dias com o branco da liberdade e o vermelho da sua bandeira tremulando Perenemente.


Valter Moraes é poeta, filósofo e comunista.

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Penélope