• Armazém na Estrada

O romance do luthier com a filha do maestro

por Lodônio de Poiri

“Não me deixe só”:

Eis a frase dita naquela manhã.

“Não me deixe só”:

A memória oculta quem proferiu.

“Não me deixe só”:

Neste labirinto, os ecos desafinam.

“Liberte-se de mim”:

O minotauro é guia na rota dos prazeres.

“Liberte-se de mim”:

As palavras seguem talhadas no bilhete.

“Liberte-se de mim”:

Rufar de cachoeira não assusta cardume.

Um dia supus encontrar saída:

alguma submersa passagem...

Mergulhei no rio profundo

e agora escuto os sons da iara...

Esquizofrênicos não tecem alegorias...

Esquizofrênicos não tecem alegorias...

Viajantes apreciam qualquer espetáculo.



Lodônio de Poiri é poeta e escritor. Um epicurista anarquista e vice-versa

240 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Lágrimas