• Armazém na Estrada

No caminho de casa (Depois da boemia)

por Daniel Junior


Numa esquina,

Nudes ao vivo e à cores,

Peitos e bundas sem pudores

E promessas de rios d'amores.

N'outra um menino

Me oferece um pino,

Um "aviãozinho" prometendo altas viagens,

Só deve está de sacanagem.

Vá dormir criança!

Viajo em outras andanças..

Hoje mesmo,

Já bebi, dancei,

Com Baudelaire dialoguei,

Com "Bardo" proseei,

Num baile real

Com várias damas flertei,

Fui em Passárgada e voltei.

Sigo aqui o meu caminho

Com passos em desalinho,

Chego em casa agora

Vigiado pela luz da aurora

E a espreita da vizinha,

Que não dá conta da própria cozinha,

Mas governa a rua todinha.

No seio de minha alcova

Agora me recolho:

Um gole d'água

Um cigarro de fumo

E durmo...

À espera de mais uma noite

O dia passa num açoite.


Daniel Junior é poeta e pedagogo

49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo