• Armazém na Estrada

Memorial

Chris Resplande


Carrego meus tesouros

em potes de barro.

Por herança, histórias

que dão sentido ao presente.


Olhar voa longe...

Pousa em fotografias fixadas

na memória.

Ouço bandolins, pilões, vitrolas;

Tia Ana a resmungar:

– Bicho excomungado é barata!

Roeu a esperança

escondida em cédulas no colchão.

Bicho excomungado é o tempo!

Roeu cheiros, sabores, presenças...

Roeu a existência em anos

que escorreram pelas mãos.


Restaram os tesouros,

memorial delicado de saudades.


Chris Resplande é de Goiânia.

Poeta, mantém a página @asletrasdachris, no instagram.

Apresenta encontros poéticos no youtube do Museu Antropologico da UFG.

98 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Lágrimas