• Armazém na Estrada

Infantil literatura

por Pedro Vale



Doce criança que cospes no banho

E trepas da risada mercantil à felicidade bruta!


Ris do imperador

e murmurejas ao herói

moleza pingada.


Pontapeias o pecado e teces na morte

Uma força brincalhona.


Saltas distraída pelo tabuleiro mágico,

Inventas a poça inteligente, a insatisfeita rede,


E desdenhas no silêncio patado simbólica traição.


- De que entontecida

lentidão foges tu, ó

criança doce?


Poema extraído do livro AZUL INSTANTÂNEO

(confira: https://www.skoob.com.br/azul-instantaneo-804586ed808569.html )


Pedro Vale é poeta e professor.

Português nascido no Porto, reside no Funchal

e frequenta o mestrado em Gestão Cultural

na Universidade da Madeira.

47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo