• Armazém na Estrada

Moço Preto

por Daniela Luciana

(Setembro de 2018)

Ele tem a manha de criar o ato que ilumina o dia

Bom dia é um áudio cantando em desafinada paixão

Muita pose de sério e marra

só disfarça a alma vadia

Se veste de encanto poeta

De olho no céu sem limite da ascensão preta

Ele escreve sobre mais uma treta

Desculpa para citar um rap antigo

Chance de exibir a herança favela

como joia

Sabe ser preciosa

a sobrevivência que não se enquadra na tela

E denuncia o sangue que escorre nas ruas

Ciente do que é estar vivo

ri na cara de quem o subestima

Joga nos peitos do mundo mais uma rima

Tudo que é bom pra ele é FODA

Do simples, se preenche

Pessoa plena é assim mesmo

com uma gota só transborda


Daniela Luciana é baiana, jornalista, poetisa,

mãe de Maria Antônia.

Desde 2003 mora, escreve, samba,

tem fé e trabalha em Brasília.

107 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Lágrimas