• Armazém na Estrada

De aberto a mistério

Atualizado: Out 16

um poema por Daniela Luciana


Fotografia de Manuela Cavadas

Já fui transparente, didática, um livro aberto

Dava a fonte, indicava o percurso

Sinalizava, honestamente, cada passo do caminho

A guardiã da boa vontade a evitar erros

Vulnerável aos que liam fácil

Me deixava folhear

De tanto apalparem sem cuidado as minhas folhas

E usarem o conhecimento de forma egoísta

Tive que me reeditar e espalhar obstáculos à leitura

Caixa, armadura, cadeado, códigos

Espada engatilhada, armadilha, isca, fundo falso

Páginas envenenadas para quem as amassa

Folhas de vida saborosa para quem as decifra

O livro agora é um mistério

A desvendar



Daniela Luciana é baiana, jornalista, poetisa,

mãe de Maria Antônia.

Desde 2003 mora, escreve, samba,

tem fé e trabalha em Brasília.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Lágrimas