• Armazém na Estrada

Azul Instantâneo


por Pedro Vale



É preciso viver sem paixões.

Mergulhar no absoluto anonimato,

Permanecer morto ou vivo até ao fim.

Aclamar o tumulto escuro e bruto.

Encenar o drama clemente e lento.

Sentir um amor ideal por anjos nebulosos.

Descobrir um novo fundo de poesia e

aguardar uma voz que nos ordene docilmente:

- Não te movas, nem te inquietes,

nem traias o que

ainda não

és.



Poema extraído do livro AZUL INSTANTÂNEO

(confira: https://www.skoob.com.br/azul-instantaneo-804586ed808569.html )


Pedro Vale é poeta e professor.

Português nascido no Porto, reside no Funchal

e frequenta o mestrado em Gestão Cultural

na Universidade da Madeira.

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Lágrimas