• Armazém na Estrada

A mão e a flor

Atualizado: Mar 12

por Peilton Sena



No jardim tantas flores

Borboletas e beija-flores

Na dança natural

Da multiplicidade das cores

–

Nos olhos do homem

Tantos dissabores

Tantas angústias reinando

Por falta de amores

—

O jardim está florido

Mas os olhos não veem

A sua beleza

–

E por olhos cegos conduzidas

As mãos vão arrancando as flores

Destruindo assim a vida

—

Arrancadas uma a uma

Da mais simples

A mais bela

–

As mãos destruíram o jardim

Mas não conseguiram

Matar a primavera

Peilton Sena, o Poetamigo, é poeta, escritor e palestrante.


56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo